sábado, 5 de janeiro de 2013

GRES Estácio de Sá - Paulicéia Desvairada - 70 anos de Modernismo - 1992


Belo samba sobre a Semana de Arte Moderna de 1922 que levou a Escola à conquista do Título do carnaval carioca e ainda ajudou a levar 5 Estandartes de Ouro (melhor Escola,Enredo, Porta Bandeira com Selminha Sorriso, Comissão de Frente e Ala das Crianças).


Personagem - Dominguinhos do Estácio





Domingos da Costa Ferreira, nascido em 04/08/1941 no Rio de Janeiro, iniciou a carreira como apoio do carro de som da Estácio de Sá onde já participava do carnaval desde o final dos anos 60.
Seus principais gritos de guerra são:
- Olha a (nome da escola) chegando!
- alegria, alegria, alegria
Além de Cantor, Dominguinhos também é compositor, entre eles destacam-se:
Arte negra na legendária Bahia (GRES Estácio de Sá - 1976), com Caramba e Caruso;
Tititi do Sapoti(GRES Estácio de Sá - 1987), com Darcy do Nascimento e Djalma Branco
Imperatriz Leopoldinense honrosamente apresenta Leopoldina, a imperatriz do Brasil (GRES Imperatriz Leopoldinense - 1996), com Carlinhos China, Demarco e Jurandir
Trevas! Luz! A explosão do universo (GRES Viradouro - 1997), com Flavinho Machado, Heraldo Faria e Mocotó

Ganhou 3 Estandartes de Ouro
1984 - Melhor Intérprete
1996 - Melhor Samba de Enredo
2000 - Melhor Intérprete

O apelido do Intérprete Dominguinhos "do Estácio" se deve a ele ser morador do Bairro do Estácio de Sá e não por causa da agremiação, mesmo porque quando ele começou nela a Escola se chamava Unidos do São Carlos.

Ele gravou 7 discos, sendo o último, "Minha Devoção" - (2008)

Como Intérprete desfilou em:

1972 até 1977 - GRES Estácio de Sá
1978 - GRES Acadêmicos de Santa Cruz
1979 até 1982 - GRES Imperatriz Leopoldinense
1981 - Branco no Samba (Niterói-RJ)
1984 até 1988 - GRES Estácio de Sá
1984 até 1986 - Vitória Régia (Manaus, na gravação do LP)
1986 - GRJ Rancho Não Posso Me Amofiná (Belém do Pará, na gravação do LP)
1989 e 1990 - GRES Imperatriz Leopoldinense
1990 e 1991 - GRES Acadêmicos do Grande Rio
1992 até 1995 - GRES Estácio de Sá
1996 - GRES Imperatriz Leopoldinense (apoio)
1997 até 2007 - GRES Viradouro
2006 - ES Unidos da Cova da Onça (Uruguaiana-RS)
2009 - GRES Inocentes de Belford Roxo
Desde 2010 - GRES Imperatriz Leopoldinense


Intérpretes na Avenida: Dominguinhos do Estácio
Carnavalesco: Mário Monteiro e Chico Spinoza
Colocação: 1º Lugar

Enredo: Paulicéia Desvairada - 70 anos de Modernismo
Ano: 1992
Autores: Djalma Branco, Déo, Maneco e Caruso


Letra:

Eu vi o arco-íris clarear
O céu da minha fantasia 
No brilho da Estácio a desfilar 
A brisa espalha no ar 
Um buquê de poesia 
Na Paulicéia desvairada, lá vou eu 
Fazer poemas e cantar minha emoção 
Quero a arte pro meu povo 
Ser feliz de novo 
E flutuar nas asas da ilusão

Me dê, me dá, me dá, me dê 
Onde você for, eu vou com você 
Lá vem o trem do caipira

Prum dia novo encontrar 
Pela terra, corta o mar
Na passarela a girar
Músicos, atores, escultores 
Pintores, poetas e compositores 
Expoentes de um grande país 
Mostraram ao mundo o perfil do brasileiro
Malandro, bonito, sagaz e maneiro 
Que canta e dança, pinta e borda e é feliz
E assim transformaram os conceitos sociais 
E resgataram pra nossa cultura 
A beleza do folclore
E a riqueza do barroco nacional

Modernismo, movimento cultural 
No país da tropicália 
Tudo acaba em carnaval

Abaixo o samba na voz de Wantuir e Dominguinhos do Estácio

Nenhum comentário:

Postar um comentário