sábado, 16 de janeiro de 2016

GRES Acadêmicos de Santa Cruz - Paz e Amor! O Sonho Não Acabou - 2011

Pra mim, o melhor samba do grupo de acesso, um dos mais bonitos da Acadêmicos de Santa Cruz. O Enredo fala sobre os jovens na década de 50 e início de 60.

Curiosidade:

A Acadêmicos de Santa Cruz é a Escola mais distante das que já desfilaram na Rua Marquês de Sapucaí - Sambódromo

Bandeira:



Resultado do Carnaval de 2011

Grupo de Acesso
Dia: 05/03/2011
Local: Rua Marquês de Sapucaí - Sambódromo

Classificação:

1 - Renascer de Jacarepaguá (Águas de março) - 299,9 pontos
2 - Unidos do Viradouro (Quem sou eu sem você?) - 299,0 pontos
3 - Estácio de Sá (Rosas) - 298,7 pontos
4 - Acadêmicos do Cubango (A emoção está no ar!) - 298,2 pontos
5 - Acadêmicos de Santa Cruz (Paz e amor, o sonho não acabou...) - 297,7 pontos
6 - Império Serrano (A benção, Vinícius) - 297,3 pontos
7 - Império da Tijuca (O Mundo em Carnaval - Um olhar sobre a cultura dos povos) - 297.2 pontos
8 - Inocentes de Belford Roxo (De Guarulhos para o palco da folia, sonhos, irreverência e alegria. Mamonas para sempre!) - 297,1 pontos
9 - Acadêmicos da Rocinha (Rocinha! Estou vidrado em você) - 297, 1 pontos
10 - Caprichosos de Pilares (Gente humilde) - 293, 9 pontos
11 - Alegria da Zona Sul (Os doze obás de Xangô) - 291,8 pontos

Foram rebaixadas para o Grupo 2
Caprichosos de Pilares e Alegria da Zona Sul

Subiu para o Grupo Especial
Renascer de Jacarepaguá


Intérprete na Avenida: David do Pandeiro
Carnavalesco: Orlando Júnior, Munir Nicolau e Carlinhos Muvuca
Mestre de Bateria: Mestre Rafael
Rainha de Bateria: Jaqueline Maia
Mestre-Sala: Eduardo Belo
Porta-Bandeira: Thayanne Loureiro
Colocação: 5º Lugar (Grupo de Acesso, atual Série A)

Enredo: Paz e Amor! O Sonho Não Acabou
Ano: 2011
Autores: Jorge Charuto, Ditão, Felipe Antunes, Doutor e Fernando de Lima.

Letra:

Vou abrir as portas do teu sentimento
Girar a chave da ilusão
Sem discriminação
Hoje voltei no tempo
Livre pra voar
No mundo de transformação
Cada despertar
A luta de uma geração

E no bater de um coração... magia
Eu transplantei sua alegria
Modernidade, globalização
Linkei o chip da evolução

Rumo ao espaço sideral
A lua afinal
Bossa nova, rock’n roll
Fã dos Beatles sempre sou
Com muito amor
Elvis curti, Roberto cantei
O Velho Guerreiro brindei
O tempo passa, tudo é sempre igual
Os jovens com o mesmo ideal
Meu sonho virou carnaval

Eu peço paz e amor
O meu sonhar te conquistou
Quero gritar ao mundo inteiro
É Santa Cruz meu sonho verdadeiro

Abaixo o Samba na voz de David do Pandeiro

domingo, 15 de novembro de 2015

GRES Estação Primeira de Mangueira - Lendas do Abaeté - 1973

Belo samba para o enredo que falava sobre lendas do folclore dos Índios Tupi-Guaranis com lendas trazidas por negros escravos trazidos da Africa na região da Lagoa do Abaeté, na Bahia.
Abaeté em tupi quer dizer "o homem bom".

Curiosidade:
Neste ano o quesito Alegorias passa a ser chamado de Alegorias e Adereços.


Bandeira:




Resultado do Carnaval de 1973

Grupo 1
Dia: 04/02/1973
Local: Avenida Presidente Vargas na Candelária

Classificação:

1 - Estação Primeira de Mangueira (Lendas do Abaeté) - 59 pontos
2 - Império Serrano (Viagem encantada Pindorama adentro) - 58 pontos
3 - Acadêmicos do Salgueiro (Eneida, amor e fantasia) - 56 pontos
4 - Portela (Pasárgada, o amigo do rei) - 53 pontos
5 - Imperatriz Leopoldinense (ABC do carnaval à maneira da literatura de cordel) - 51 pontos
6 - Em Cima da Hora (O saber poético da literatura de cordel) - 50 pontos
7 - Mocidade Independente de Padre Miguel (Rio Zé Pereira) - 45 pontos
8 - Unidos de Vila Isabel (Zodíaco do samba) - 42 pontos
9 - Tupi de Brás de Pina (Assim dança o Brasil) - 41 pontos
10 - Unidos do Jacarezinho (Ameno Resedá) - 38 pontos

Foram rebaixadas para o Grupo 2
Tupi de Brás de Pina e Unidos do Jacarezinho

Subiram para o Grupo 1
Estácio de Sá e Beija-Flor


Intérprete na Avenida: Jamelão
Carnavalesco: Júlio Mattos
Mestre de Bateria: Mestre Waldomiro
Mestre-Sala: Élcio PV
Porta-Bandeira: Neide
Colocação: 1º Lugar (Grupo 1, atual Especial)

Enredo: Lendas do Abaeté
Ano: 1973
Autores: Jajá, Preto Rico e Manoel


Letra:

Iaiá mandou
Ir à Bahia
No Abaeté para ver sua magia
Sua lagoa
Sua história sobrenatural
Que a Mangueira traz para este
Carnaval
Janaína agô, agoiá
Janaína agô, agoiá
Samba com rima
Com a força de 
Iemanjá
Oh! Que linda noite de luar
Oh! Que poesia e sedução
Branca areia, água escura
Tanta ternura no batuque
E na canção
Lá no fundo da lagoa
Com seu rito e sua comemoração
Foi assim que eu vi
Iara cantar
Eu vi alguém mergulhar
Para nunca mais voltar

Abaixo o Samba na voz de Dirceu da Mangueira